Direito tributário em foco: estudos sobre tributação ecológica

Autores

Editora Inovar

Palavras-chave:

Direito tributário, Tributação ecológica

Sinopse

Desde a Conferência de Estocolmo, em 1972, os debates sobre o contexto ambiental ganharam um destaque especial. A partir de então, os países buscaram políticas – legislativas e administrativas - para a incluir a questão ecológica internamente. No Brasil, não foi diferente. Em 1988, a partir da promulgação da Constituição Federal – CF, o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado foi alçado ao patamar de direito constitucional, sendo, nos termos do art. 225, direito de todos e dever do Poder Público e da Coletividade defendê-lo e preservá-lo.

Nesse contexto, o Direito Ambiental deixa de ser uma figura isolada, passando a ser tratado de forma interseccional e transversal nas diversas áreas do Direito. Conquanto o Direito Tributário aparente ser distante da questão ecológica, tal não se mostra como verdadeiro, eis que, atualmente, a partir da junção dos dois ramos, há uma nova área de estudo: a Tributação Ecológica, também chamada de Verde ou Ambiental.

Essa espécie de Tributação tem gênese a partir dos estudos do economista britânico, Arthur Cecil Pigou (1877-1959), que, por meio do livro The Economics of Welfare (1932) criou o conceito de externalidades. Na referida obra, Pigou aborda a necessidade de se internalizar os custos das externalidades (positivas ou negativas), a partir de subsídios ou tributos. Conquanto Pigou não tenha se dedicado especificamente à questão ambiental, é a partir dos seus estudos que a Tributação Ecológica, objeto de estudo deste livro, surge.

Esta obra é fruto de pesquisas realizadas por discentes do Curso de Direito da Faculdade de Excelência – Unex, em Itabuna (BA), orientadas. A ideia é poder incentivar, desde a graduação, a pesquisa científica, proporcionando aos discentes a oportunidade de pensar criticamente temas relacionados ao Direito Tributário.

O Capítulo 1 discorre sobre como é possível utilizar da Tributação Verde como forma de alcance aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS, da Agenda 2030 da ONU.

O Capítulo 2, por sua vez, aborda sobre a relação entre a política da Tributação Ambiental e o princípio da neutralidade. A partir de uma abordagem sociológica, o Capítulo 3 trabalha a utilização da Tributação Ecológica como meio de desenvolvimento sustentável.

Em continuidade, o Capítulo 4 analisa os princípios aplicáveis ao IPTU Verde; ao passo que o Capítulo 5 reflete sobre a utilização da Tributação Verde para o desenvolvimento econômico sustentável.

O Capítulo 6 questiona a constitucionalidade da Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental (TCFA) do Ibama. O Capítulo 7 analisa a aplicação de incentivos fiscais para o uso de fontes de energia renováveis no Brasil.

Por fim, partindo do pressuposto legal do art. 3°, do Código Tributário Nacional – CTN, de que tributo não pode ter natureza sancionatória, o capítulo 8 discute a natureza jurídica da tributação ecológica, se configuraria ou não sanção.

Desejamos uma excelente leitura!

 

ISBN: 978-65-5388-240-9
DOI: 10.36926/editorainovar-978-65-5388-240-9

 

Biografia do Organizador

Adive Cardoso Ferreira Júnior - doutorando em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutorando e Mestre em Economia Regional e Políticas Públicas pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Especialista em Direito e Processo Tributário pela Universidade Estácio de Sá. Professor de Direito Tributário. Áreas de interesse na pesquisa: Direito Tributário; Tributação ambiental; Direito Público; Direito Ambiental; Políticas Públicas. E-mail: [email protected].

 

 

 

Capítulos

  • OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A TRIBUTAÇÃO ECOLÓGICA: A UTILIZAÇÃO DE POLÍTICAS FISCAIS PARA O CUMPRIMENTO DAS METAS DA AGENDA 2030
  • A POLÍTICA DA TRIBUTAÇÃO AMBIENTAL E O PRINCÍPIO DA NEUTRALIDADE TRIBUTÁRIA: IMPLICAÇÕES PARA UM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
  • A UTILIZAÇÃO DA TRIBUTAÇÃO ECOLÓGICA COMO MEIO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
  • TRIBUTAÇÃO MUNICIPAL AMBIENTAL: PRINCÍPIOS TRIBUTÁRIOS BASILARES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO IPTU VERDE
  • TRIBUTO AMBIENTAL: UM INCENTIVO AO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL NO BRASIL
  • ANÁLISE CONSTITUCIONAL DA TAXA DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL DO IBAMA
  • ANÁLISE ACERCA DA APLICAÇÃO DE INCENTIVOS FISCAIS AO USO DE FONTES DE ENERGIAS RENOVÁVEIS NO BRASIL
  • A CARACTERÍSTICA (NÃO) SANCIONATÓRIA DA TRIBUTAÇÃO VERDE

Downloads

Publicado

junho 12, 2024

Licença

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.