LIVRO 4 

O DIREITO AMBIENTAL NA CORPOREIDADE PÓS-MODERNA

Projeções científicas alertam que estamos vivendo em uma crise ambiental. Nesse panorama, afligem-se temas como: mudanças climáticas, iminência de um colapso ambiental, aumento no número de desastres a partir da década de 1970, ultrapassagem da pegada ecológica e assim por diante.
Neste prisma, reflete-se: qual o papel do Direito nessa perspectiva ambiental? Como o Direto Ambiental lida com tais projeções? Como a doutrina ambientalista tem se posicionado? Qual a instrumentalidade jurídica ambiental e sua conflituosidade? Qual o papel do Direito na Educação Ambiental ou na sustentabilidade do planeta?

Essa chamada alicerça-se no Direito Ambiental, sobretudo na visão crítica do tempo presente. Isto posto, essa chamada não é exclusiva aos operadores do direito, especialmente quanto ao exame crítico e dialético. Serão bem-vindos também debates indígenas e outras ciências que intensifiquem o debate ecológico quanto a sua contradição normativa, como, por exemplo, sociólogos, geógrafos, historiadores, filósofos, cientistas humanos e sociais, dentre outros.

Organizadores: Profa. Dra. Bárbara Cristina Kruse (Doutora em Ciências Sociais Aplicadas e Advogada) e Prof. Me. Marcos Kruse (Doutorando em Direito/ Universidad Nacional de Lomas de Zamora).

Prazo para envio do artigo: até o dia 22 de maio.